Feeds:
Posts
Comments

Archive for the ‘Pensando…’ Category

hoje é o segundo dia que passo sem falar com você.

tem sido difícil, mas ouso dizer que hoje foi mais difícil ainda, uma vez que não tenho sequer conseguido administrar meus afazeres. fiz faxina na casa, almocei, cochilei por 20 minutos e você estava na minha cabeça em todos esses momentos.

(more…)

Advertisements

Read Full Post »

Com a mesma velocidade que você apareceu, você foi embora.

Ainda estou tentando me reorganizar, entender como os meus sentimentos vão se permitir aflorar outra vez por outra pessoa. Da última vez foi há uns três anos. Passou tanto tempo para acontecer de novo que eu até pensei que estava acostumado à solidão. A gente sempre acha que está acostumado com as coisas, apenas para que elas reapareçam de outra forma.

Fiquei apaixonado muito rápido. Foi tudo muito intenso. Não sei explicar isso. Só sei que aconteceu. Em um momento foi apenas uma conversa de bar. Dois dias depois um novo encontro, dessa vez com vários beijos e mãos dadas, abraços longos e cochichos ao pé do ouvido. E depois, duas semanas depois de várias conversas e discussões por mensagens de texto, levo um fora na noite do meu aniversário. É tragicamente exagerado, quase como um roteiro de drama das 9.

Meu descontrole também é visível. De repente estou pagando contas de uma mesa inteira no bar, pagando Uber para fulaninho voltar para casa só para que fique mais tempo comigo no bar, incluindo no meu plano família do Spotify… É muita imprudência, é muito investimento, tudo muito rápido.

Rápido… Ahh a maldita etiqueta social, que quer regular até o seu sentimento. Etiqueta estúpida que estabelece até quando devemos fazer o quê com relação ao que sentimos. Dizer logo o que se sente assim, na lata? Jamais! Não se pode falar do que se sente para a pessoa assim de cara. Vai acabar assustando e a pessoa vai correr com medo de você. Porque é impossível se apaixonar assim logo de cara. Ninguém pode gostar de outra pessoa assim tão rápido. Isso é doença, né?

Fiquei lembrando esse tempo todo do nosso segundo encontro, sabe? Aquele em que você me chamou de indeciso, de pessoa estranha, de cara bonito e legal. E de como eu fiquei feliz com nosso primeiro beijo. Fui embora com um sorriso no rosto, esperança no coração e andar leve… Foi tudo tão massa naquele dia… E de repente você não tem mais tempo para nada. De repente você não quer mais outra coisa a não ser estudar e trabalhar, porque agora que está no curso superior precisa fazer as coisas direito. De repente você nunca tem tempo para mim e hoje abro o Instagram apenas para ver você postando stories de dentro da concha acústica da UFC à noite, num show, quando o que mais ouvi foi que você não ia mais participar de nada.

Eu me sinto tão estúpido por estar escrevendo essas coisas que já estou com os olhos marejados. Não consigo poetizar nada, não consigo pensar em metáforas para mascarar o que sinto. O que quer que existisse de poesia em mim sumiu de repente, e tudo o que consigo fazer é falar sobre você, sobre o que quase vivi, sobre o peso estranho que estou sentindo no peito, sobre a vontade de estar com você, sobre todas as coisas que eu queria e não tenho e parece que vou morrer sem ter, porque é assim mesmo sempre, nunca mudou.

Fico assustado como isso me paralisa, como me deixa incapacitado de continuar com minhas atividades costumeiras, como me impede de continuar, como se tudo fosse uma questão de viver isso ou não. Que coisa ruim! Que sentimento angustiante e tenebroso! Como as pessoas conseguem lidar com esse turbilhão de sentimentos? Como elas conseguem fazer isso?

E é óbvio que tudo vem de uma vez: a autoestima, que já mal existia, desaparece por completo; o sentimento de incapacidade vem com tudo, junto com aquela incompetência básica; de repente percebo o quão me acho feio, gordo, peludo, e tantas outras coisas que me transformam em material impróprio para qualquer outra pessoa. Viro uma piada estética, uma aberração, algo indigno de desejo e que precisa se conformar em nunca conseguir arrumar alguém.

E são tantas as coisas que eu detesto em mim…

E com tudo isso eu ainda preciso dormir hoje e acordar cedo, porque amanhã tenho que trabalhar.

Estou escrevendo o máximo que posso mas ainda me sinto horrível. Estava tentando pensar em outra coisa, mas não consigo. Queria e continuo querendo ficar com você.

Só que ontem, na noite do meu aniversário, você disse que não me queria.

E agora, que eu também não me quero?

Read Full Post »

1. Has your greatest fear ever come true?
No. And I’m alive because of it.

2. What’s a song that has special meaning for you?
I can’t think of a song like that right now. Music is kinda of my drug, so I’m always listening to many significant songs. The last meaningful one I can recall, because it is very recent, is “Vienna”, by Billy Joel. I sent it to a guy I’m currently seeing because he’s always too worried about not having enough time to get things done, and usually I pay the price for that (he doesn’t go out with me often).

3. Do your practice ‘self love’ or ‘self loathing’?
Self-loathing.
(more…)

Read Full Post »

  1. sonhar com alguém próximo e, em tal sonho, você e tal pessoa estão mutuamente envolvidos em uma situação erótica é algo muito estranho;
  2. o amor, acredito, só acontece quando duas pessoas conseguem ocupar o mesmo lugar no espaço, sendo todo o resto pura conveniência.

Read Full Post »

the following questions can be used both in character and out of character, depending on what you want to answer. these questions are meant to make people familiar with the various shades of love, attraction and identity, feel free to add your own. happy pride 🌈

what is your sexuality?
I’m gay.

what do you identify as?
You mean gender? I’m a cis male.

how long have you been aware of your sexuality/identity?
Now I know that what I felt at the age of 4 is the same as I feel today. But acting on my own sexuality happened only twelve years later.

do you have any preferences?
What are you talking about? Sexual preferences? Gender preferences? It’s not clear and I don’t think this type of question should be here. People have been mean to each other simply by “stating” their “preferences”.

 

share a positive memory about coming out!
I stopped seeing my sexuality as a disease and realized that it was just another thing that made me, me. Just like my black skin being different from those white skinned.

how do you feel about pride month?
I don’t feel any different, to be honest, but I do think it is important to raise awareness on this subject. People are being murdered everyday around the world simply because they love someone. 

do you participate in pride related events? any other events?
No. I don’t think I fit within the local gay community. 

how do you feel about lgbtqa roles in media?
It certainly changed with time, since now, at least here in Brazil, we have some lgbt roles going around in social media. But we still can smell the challenge that is to be there: to make yourself visible despite all the things people tell you shows us that there’s still a lot of work to do. Let’s just hope that the new generation collaborates more. 

do you feel pride in who you are?
No.

who has been your supportive idols in your self discovery?
Probably a biology teacher from high school. He had this huge conversation with the students of my class about why and how we should respect differences, and he did that after noticing my so-called “colleagues” were being hostile and avoiding me just because they found out about my sexuality. 

(more…)

Read Full Post »

I’ve been smoking for 12 years, and drinking for 9 years. I’ve never considered myself addicted to those two, but recently I noticed that my drinking and smoking habits were increasing. I have many episodes of panic attacks and anxiety crisis, and because I’ve been short in money, I never got around to pay for a proper treatment. The result is as clear as clean water: cigarettes and beer quickly became crutch.

In the past two years I drank more and more, smoked more and more. One week ago, on a Friday night, my friend told me I drank so much I was holding hands with everyone at the table and saying things as if I had been possessed. I have no records of this in my memory, which scares me a lot. So I decided quit drinking.

I’ve been clean for one week and two days now, and I’ve been to bars these days just to order soda. I’m still smoking, unfortunately, but I’m trying to stop too. It’s been two days without cigarettes, but it’s hard. I hope I make it through the week without it.

I’m posting this because I want to save the date somewhere. Don’t worry, I won’t be here every day telling you all about the problems of abstinence. I’m sure there’s plenty of people out there already doing the same and I don’t think what I’m going through is any different. I just want to be able to become healthier, because my panic attacks always make me think I’m about to die. I don’t want to die with the idea that I could have done something to avoid it.

Read Full Post »

Do you prefer writing with black or blue pen?
Blue. (more…)

Read Full Post »

1. Would you have sex with the last person you text messaged?
No. (more…)

Read Full Post »

Funny. I tried to write something last night but I was so tired I fell asleep on my keyboard. Having a full time job doesn’t leave much room to do anything else other than sleeping, at least not for me. (more…)

Read Full Post »

I really need to get this out of my head. (more…)

Read Full Post »

Older Posts »